CTEEP divulga ao mercado seus resultados do segundo trimestre

Nesta segunda-feira (15/8), a CTEEP divulgou ao mercado os seus resultados financeiros do segundo trimestre de 2016.

De abril a junho deste ano, a Companhia registrou uma Receita Operacional Líquida Consolidada de R$ 287,0 milhões. Isso significa um aumento de 2,8% em relação ao mesmo período de 2015, quando representou R$ 279,0 milhões.

O Lucro Líquido totalizou R$ 107,9 milhões, aumento de 35% em comparação aos R$ 79,9 milhões verificados no mesmo período do ano passado.

E o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) Consolidado foi de R$ 174,5 milhões, o que representa um crescimento de R$ 59,2 milhões em relação ao Ebitda de R$ 115,2 milhões registrado no segundo trimestre de 2015. A margem Ebitda no segundo trimestre deste ano alcançou 60,8%.

Até junho, a CTEEP realizou investimentos da ordem de R$ 75,4 milhões. Esses valores foram destinados para reforços, novas conexões, modernizações e melhorias, capitalização de pessoal, projetos corporativos e de telecomunicação. Os recursos também foram usados para aportes nas subsidiárias.
 
Indenização

Com relação à indenização dos ativos não depreciados, existentes em 31 de maio de 2000 (RBSE), o Ministério de Minas e Energia emitiu em 20 de abril a Portaria nº 120. Essa portaria determinou que os valores homologados pela ANEEL passem a compor a Base de Remuneração Regulatória das concessionárias de transmissão de energia elétrica a partir do processo tarifário de 2017, pelo prazo estimado de oito anos.
Mesmo com essa decisão, a Administração da CTEEP entende que ainda não é possível reconhecer com razoável grau de certeza o montante atualizado do Valor do RBSE.

Esse posicionamento se baseia em parecer contábil independente elaborado pelos professores Natan Szuster e Ricardo Lopes Cardoso, o qual levou a Companhia à conclusão de que existem aspectos relevantes para definição de tal valor que ainda serão discutidos pela ANEEL em Audiência Pública prevista para ter início em outubro de 2016 e conclusão em fevereiro de 2017.

Entre esses fatores, podem ser destacados a metodologia e índice de atualização e remuneração aplicáveis no cálculo do Valor do RBSE; esclarecimentos quanto aos prazos de pagamento para as parcelas atrasadas e remanescentes do valor do RBSE; e definição da tributação aplicável sobre os valores a receber. 

Ainda para a definição desse tema, está pendente de julgamento junto à Diretoria da ANEEL recurso administrativo apresentado pela Companhia em 30 de dezembro de 2015, com relação ao montante do Valor do RBSE reconhecido pela Agência até a presente data. A decisão deste recurso também terá efeito na definição do Valor do RBSE.

Diante desse cenário, a CTEEP manterá o Valor do RBSE contabilizado pelo saldo histórico até que entrem em vigor as normas complementares suficientes para que seja possível mensurar com confiabilidade o referido valor, atualmente contabilizado em R$1,49 bilhão.
 
Teleconferência

Nesta terça-feira (16/8) às 10h, a Companhia realiza teleconferência para apresentar os resultados do trimestre ao mercado. Os executivos da Empresa também responderão perguntas de analistas de mercado e de jornalistas.

Para acessar o link para ouvir a teleconferência, clique aqui.
  Voltar