ISA CTEEP encerra 2020 com aumento de 64% no lucro líquido regulatório e 40% na receita líquida regulatória

  • Resultados financeiros recordes com forte geração de caixa permitem avançar na estratégia de crescimento com geração de valor sustentável e no pagamento de proventos aos acionistas
  • Plano de investimento em modernização de ativos cresce 74% em relação ao ano anterior
  • Investimento de R$ 19 milhões em iniciativas em prol da sociedade e do meio ambiente
São Paulo, 22 de fevereiro de 2021 – A ISA CTEEP, maior transmissora privada de energia elétrica do país, finalizou o ano de 2020 com lucro líquido regulatório 64% superior ao registrado em 2019, impulsionado pela melhora do EBITDA e pelo ganho com a operação de real estate, totalizando R$ 2 bilhões. No quarto trimestre, o lucro líquido regulatório foi de R$ 374,4 milhões, acréscimo de 8,4% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A receita operacional líquida regulatória de 2020 foi de R$ 3,9 bilhões, um aumento de cerca de 40% em relação ao ano anterior. No último trimestre, a receita líquida foi de R$ 840 milhões, 15% superior ao mesmo período em 2019.  

No ano, o EBITDA ajustado regulatório totalizou R$ 2,7 bilhões, um aumento de quase 23% no comparativo com 2019. Se considerado apenas o quarto trimestre, o EBITDA ajustado regulatório foi de R$ 723 milhões, um acréscimo de 21,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.
Em 2020, a companhia também viabilizou a distribuição de proventos no montante de R$1,67 bilhão, que representa 83% do lucro líquido regulatório e dividend yield de 9%.

“Mesmo em um ano tão atípico e com tantos desafios, alcançamos resultados recordes, pautados na excelência operacional e na solidez da gestão financeira. Com o objetivo de não impactar as operações estabelecemos um plano especial para garantir a continuidade do negócio que envolveu desde a adoção do home office nas áreas administrativas até acampamentos nas áreas operacionais para reduzir deslocamentos e o risco de contágio. Neste ano, manteremos nosso foco na proteção de nossos colaboradores, na estratégia de crescimento sustentável, na distribuição de proventos aos acionistas e no impacto positivo para a sociedade”, diz Rui Chammas, diretor presidente da ISA CTEEP.

Crescimento e investimentos
Com o objetivo de expandir a sua presença no território nacional, a empresa baseia a sua estratégia de crescimento em três pilares: participação ativa em leilões (projetos greenfield), investimento em reforços e melhorias, e novos negócios, que incluem potenciais fusões e aquisições que tenham sinergias com as operações existentes.

No último trimestre de 2020, a companhia investiu mais de R$ 385 milhões e, no acumulado do ano, aportou R$ 1,3 bilhão, o que representa um aumento de R$ 534,5 milhões em relação a 2019 – crescimento de 69% ante 2019. A maior parte foi destinada aos novos projetos (greenfield) – cerca de R$ 1,1 bilhão, fundamentais para o escoamento de energia elétrica proveniente de fontes renováveis no país, contribuindo para uma economia de baixo carbono.

Em 2020, a ISA CTEEP colocou em operação dois projetos - as Interligações Elétricas Itaquerê e Tibagi - e foi responsável por arrematar o lote 7, segundo maior do leilão da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), realizado em dezembro. O empreendimento recebeu o nome de Riacho Grande. Nos últimos anos, a Companhia arrematou 14 lotes em leilões de transmissão realizados pelo regulador, que somam capex estimado pela ANEEL (ponderado pela participação da ISA CTEEP) de R$ 6,3 bilhões com incremento da RAP (ciclo 2020/2021) de cerca de R$ 645 milhões, após a entrada em operação dos ativos.

Os outros R$ 231 milhões foram destinados ao avanço do plano de modernização de ativos da companhia, representando um aumento de 74% em relação ao último exercício. Os investimentos em reforços e melhorias do sistema de transmissão vão garantir maior flexibilidade e segurança no fornecimento de energia às distribuidoras. No ano, foram energizados 131 projetos e a empresa já conta com a autorização da ANEEL para cerca de outros 277 com investimento previsto de R$ 1,5 bilhão. A expectativa é energizar metade do pipeline desses projetos ao longo de 2021.

O crescimento também abrangeu oportunidades de negócio com o patrimônio imobiliário da companhia, por meio da comercialização de áreas excedentes ao serviço público de transmissão. No ano passado, a empresa fechou o primeiro negócio envolvendo um ativo imobiliário (real estate) com a prefeitura de São José dos Campos (SP) para áreas que serão usadas em um projeto de mobilidade urbana local. A transação foi de R$ 73,5 milhões. Nessa linha, a empresa já selecionou lotes que somam mais de 1 milhão de m2, distribuídos na capital paulista e no corredor até o Vale do Paraíba, para avaliação de novos negócios.

Em dezembro, a companhia adquiriu a Piratininga – Bandeirantes Transmissora de Energia (PBTE), no valor de R$ 1,6 bilhão.

Sustentabilidade
Em 2020, investiu aproximadamente R$ 19 milhões em iniciativas em prol da sociedade e do meio ambiente, sendo R$ 5 milhões provenientes de recursos próprios e R$ 14 milhões de incentivados, por meio das leis de incentivo à cultura e ao esporte e dos fundos da infância e adolescência e do idoso, além do programa de apoio à atenção oncológica. Ao todo, 14 iniciativas receberam aportes que fomentarão, durante o ano de 2021, ações de desenvolvimento socioeconômico com foco em educação e conscientização ambiental.

Além disso, a empresa ampliou a frente para ações de combate à Covid-19 com a doação de R$ 3,2 milhões para a construção do Centro Multipropósito de Produção de Vacinas, do Instituto Butantan, que também contou com a participação dos colaboradores. Além disso, foi doado R$ 1,5 milhão para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para a produção de kits de testes rápidos para a detecção da doença. 

Em consonância com o compromisso de desenvolvimento socioambiental, por meio do Programa Conexão Jaguar, a empresa reafirmou o apoio ao Instituto Homem Pantaneiro na preservação de mais de 76 mil hectares na região da Serra do Amolar, localizada no Pantanal, local devastado pelo fogo em 2020. Além das atividades desenvolvidas no âmbito do Programa, contribuiu com a aquisição de uma embarcação para auxiliar no deslocamento de brigadistas para o combate aos incêndios.

A companhia está comprometida com a sustentabilidade em seus negócios, desde a construção até a operação de seus ativos, por meio do uso de técnicas para minimizar o impacto ao meio ambiente, como o aumento da distância das torres de transmissão em relação ao solo e lançamento de cabos com drones, evitando intervenções na vegetação nativa.

Inovação
Para reforçar um de seus pilares estratégicos, em 2020, a empresa investiu R$ 14 milhões em 12 projetos de inovação – três já entregues -, que visam, principalmente, à otimização dos processos da operação da companhia, como o sistema de digitalização da inspeção de faixas de servidão da transmissora e o uso de drones.
  
Principais números
Os Resultados Regulatórios estão apresentados de acordo com o Manual de Contabilidade do Setor Elétrico (MCSE) com o objetivo de colaborar com o entendimento do negócio da Companhia.
Principais Indicadores Regulatórios   Consolidado
(R$ milhões) 4T20  4T19  Var (%)  2020  2019  Var (%)
Receita Líquida 839,0  729,5  15,0%  3.891,2   2.774,6   40,2%
EBITDA 634,8  596,1  6,5%  3.416,6   2.184,0   56,4%
EBITDA Ajustado¹ 723,1  595,1  21,5%  2.716,3   2.213,5   22,7%
Margem EBITDA Ajustado² 79,3%  81,6%  (2,3) p.p.  85,8%  79,8%  6,0 p.p.
Lucro Líquido3 374,4  345,4  8,4%  2.002,4   1.221,8   63,9%
Margem Líquida 44,6%  47,3%  (2,7) p.p.   51,5%   44,0%   7,4 p.p.
ROE (acumulado de 12 meses) 25,8%  18,2%   7,6 p.p.   25,8%   18,2%   7,6 p.p.
 
¹Ajustado pelo recebimento da PA (RTP e RBSE), sem considerar a provisão, e efeitos não recorrentes
²Considera a receita líquida ajustada pelo recebimento da PA (RTP e RBSE)
³Ajustado pela participação do acionista não controlador
 
 
Sobre a ISA CTEEP
Com uma equipe de cerca de 1.400 colaboradores, a ISA CTEEP está presente em 17 estados do Brasil, operando uma complexa rede de transmissão por onde trafegam 33% de toda energia elétrica transmitida no País e 94% no Estado de São Paulo. Seu sistema elétrico é composto por mais de 20 mil quilômetros de linhas de transmissão e 140 subestações (ativos em operação e em construção). Privatizada em 2006, o principal acionista é o Grupo ISA, que detém 35,82% do capital total.
Voltar