INOVAÇÃO NA ISA CTEEP

A inovação é uma das alavancas de nosso planejamento estratégico e da nossa geração de valor sustentável. Desde 2020, investimos aproximadamente R$ 40 milhões em projetos de inovação.

Nossa estratégia está pautada em implementar as inovações de forma a garantir o crescimento do negócio, aumento de excelência operacional em transmissão de energia e criação de oportunidades de novas fontes de receita e de maior rentabilidade.


A materialização de nossa estratégia passa pela tese de investimento em nossos diferentes portfólios e áreas de oportunidades. Confira:

NOVOS
NEGÓCIOS

• Armazenamento de energia em baterias

TRANSMISSÃO
DE ENERGIA

• Resiliência e confiabilidade dos ativos

• Gestão de projetos

• Estruturação de ofertas e projetos

• Produtividade da manutenção

TEMAS
TRANSVERSAIS

• Segurança do colaborador

• ESG

• Transformação Digital

Clique nos quadrados abaixo para conhecer os projetos da ISA CTEEP.

Elaboração de projetos e ofertas | Subestação Digital
Novos negócios | Armazenamento de energia
Produtividade da manutenção | Drones
Elaboração de projetos e ofertas | Subestação 4.0
Inteligência Artificial no Centro de Operações aumenta confiabilidade | IA COT
Sistema de comunicação entre manobras e operação | ZAP COT

Subestação Digital

A inauguração da Subestação Digital, em Lorena (SP), a primeira do Sistema Interligado Nacional (SIN), representa um marco no setor elétrico rumo ao conceito de Subestação 4.0

O projeto envolve a aplicação de sistemas digitais com o uso de tecnologias como big data e conexões em fibra ótica, que conferem maior disponibilidade e eficiência na prestação de serviços, melhor confiabilidade e coleta de informações para a tomada de decisão.

A subestação conta com um banco de autotransformadores com capacidade instalada de 1.200 MVA, capaz de abastecer duas cidades do porte de São José dos Campos (SP). O projeto, que empregou mais de 200 profissionais durante a obra, deve duplica o abastecimento de energia para a região do Vale do Paraíba, que conta com um sistema redundante.




Clique aqui para baixar o infográfico

Armazenamento de energia em baterias

Na vanguarda das contribuições para o futuro do setor elétrico, obtivemos a aprovação pela ANEEL do primeiro projeto de armazenamento de energia em baterias em larga escala no sistema de transmissão brasileiro. A inovação será instalada na Subestação Registro (SP), uma das responsáveis pelo atendimento do Litoral Sul Paulista, e beneficiará cerca de dois milhões de pessoas.

As baterias de lítio serão instaladas em uma área de aproximadamente 4 mil m², com porte equivalente a cerca de 30 contêineres, e terão 30 MW de potência instalada. A tecnologia vai atuar nos momentos de pico de consumo, assegurando energia adicional por até duas horas, totalizando 60 MWh, de forma a evitar interrupção no fornecimento devido ao excesso de demanda e garantir mais segurança e confiabilidade na prestação do serviço à sociedade.


Permite compensar a intermitência de fontes renováveis.

Contribui para a redução de custos de operação e expansão do sistema, já que permite postergar a construção de grandes projetos.

Aumenta a integração de fontes energéticas econômicas.

Pode ser reutilizada em outros pontos do país que precisem de reforço no sistema elétrico.

Drones: tecnologia a favor da segurança e da confiabilidade

Em 2021, desenvolvemos, em parceria com a Drone Power e de forma pioneira no Brasil, um drone que incinera objetos que caem nas linhas de transmissão e podem afetar o fornecimento de energia elétrica à sociedade, como balões e pipas. Homologada no ano pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a tecnologia contribui com a redução em mais de 80% do tempo para a remoção de objetos.

Também intensificamos o uso de drones em outras aplicações. Durante o trabalho de inspeção das faixas de servidão, por exemplo, a tecnologia aumenta significativamente a precisão sobre a necessidade de podas de árvores próximas às linhas de transmissão, pois permite uma fotografia exata da interferência da alta vegetação nos ativos, o que pode ocasionar desligamento das linhas.

Também dispomos de uma Central de Análise de Imagens Digitais (CAID), um novo conceito e arquitetura para a digitalização das atividades de inspeção aérea dos ativos realizadas pelos drones, que além de aumentar a segurança, substituindo a escalada das equipes técnicas em torres, proporciona ganhos de eficiência.



Subestação 4.0

Além de avançar na digitalização de subestações, a ISA CTEEP está trabalhando no conceito de Subestação 4.0, por meio do Programa de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) da ANEEL. O projeto prevê o desenvolvimento de estudos de requisitos e desempenho de um sistema de proteção, controle, automação e monitoramento para o desenvolvimento de um conceito de subestação do futuro com implantação de um piloto como plataforma de testes, na subestação Jaguariúna (SP).

O P&D prevê investimento de mais de R$ 10 milhões e o início de montagem dos painéis e o desenvolvimento de arquitetura está previsto para acontecer ainda este ano. O projeto está sendo desenvolvido em parceria com o Laboratório de Proteção e Automação da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (LPROT – USP), o LSI Tec, ABB Eletrificação e a Hitachi ABB.

Inteligência Artificial no Centro de Operações aumenta confiabilidade

No centro de operação, desenvolvemos um projeto de Inteligência Artificial que contempla o tratamento de alarmes para apoio na identificação de anomalias em nosso sistema, o que proporciona maior segurança e agilidade nas manobras para controle dos ativos. Além disso, promove maior confiabilidade, produtividade e auditabilidade na execução de manobras coordenadas entre o Centro de Operação de Transmissão (COT) e as instalações.

Contamos, ainda, com projeto de teleassistência na operação, que tem como objetivo dotar as subestações de recursos tecnológicos complementares, como videomonitoramento, para aumentar a confiabilidade da operação via Centro de Operação, além de mitigar a necessidade de deslocamento até essas subestações.

ZAP COT – Sistema de comunicação entre manobras e operação

A tecnologia substitui o contato telefônico entre os centros de operação para a coordenação de manobras em campo.

Com essa iniciativa, a ISA CTEEP conseguiu diminuir cerca de 20 chamadas telefônicas e 41% no tempo da execução de cada manobra. O potencial de ganho para a Companhia está estimado em R$1,4 milhão por ano, com foco na eficiência operacional na coordenação de manobras.


Programa de inovação aberta

Na ISA CTEEP, desenvolvemos o programa de inovação aberta, em que os nossos agentes de inovação atuam como protagonista para identificar oportunidades no ecossistema de inovação e apresentar soluções que fortaleçam a geração de valor sustentável.


Fique ligado no nosso programa de inovação aberta!
Para mais informações, entre em contato conosco: inovacao@isacteep.com.br

PROJETOS EM COOPERAÇÃO COM OS AGENTES DO SETOR ELÉTRICO


PLANEJAMENTO INTEGRADO E FLEXÍVEL
SIASE – T

Também com foco nas transformações do setor elétrico, em 2021, firmamos um acordo de cooperação estratégico com a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) para o desenvolvimento do projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) “Planejamento Integrado e Flexível de Sistemas de Transmissão”, iniciado em 2020 e com duração de 24 meses.

O objetivo da pesquisa é fomentar a preparação do planejamento da transmissão de energia elétrica para as mudanças atualmente em curso na matriz energética e no setor de energia, devido à crescente entrada das fontes renováveis intermitentes e da geração distribuída, além da necessidade de armazenamento de energia e aplicação de novas tecnologias no setor.

Entre outras frentes, a iniciativa engloba o desenvolvimento de metodologias e aprimoramento de ferramentas computacionais que irão auxiliar a avaliação do planejamento do sistema, considerando a análise de um portfólio de tecnologias que maximizem a flexibilidade da rede de transmissão.

O projeto tem investimento pela ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica previsto de cerca de R$ 5 milhões. Além da EPE, também conta com a participação das empresas do setor de energia elétrica, a PSR, HPPA e MRTS.